planejamento financeiro pessoal planejamento financeiro pessoal

Planejamento financeiro pessoal: saiba como fazer o seu

6 minutos para ler

Você trabalha o mês todo, começa a planejar as férias e surge um curso perfeito na sua área, mas seu carro estraga, os gastos da casa aumentam e os planos começam a ruir. Quantas vezes você já experimentou essa situação? A verdade é que esse tipo de episódio é bastante frustrante, mas pode ser evitado com um pouco de organização e planejamento financeiro pessoal.

Em uma empresa, ninguém questiona a relevância do bom e velho planejamento financeiro. Contudo, quando se trata da vida pessoal, a história é outra. O cuidado com o seu dinheiro é algo essencial para manter a qualidade de vida e até mesmo a motivação com o trabalho, sabia disso?

Muitas vezes, acabamos acreditando que não temos dinheiro o bastante, quando, na verdade, não temos planejamento. A única coisa que você precisa é começar a dar um direcionamento para o salário que cai na conta todos os meses e realmente ver a sua independência financeira acontecendo.

Quer aprender a fazer isso de um jeito simples e até divertido? Então, continue conosco!

O que é um planejamento financeiro pessoal?

O planejamento financeiro pessoal é uma espécie de estratégia que você monta para tomar decisões a partir dos seus objetivos e metas. Com ele, você passa a ter um melhor controle sobre as suas finanças, fazendo seus gastos de uma forma muito mais consciente e alinhada com o que quer alcançar para sua vida.

Não importa se você deseja comprar um imóvel, trocar seu carro, viajar ou começar um curso novo. Com um planejamento eficiente, será possível atingir qualquer objetivo dentro de um prazo determinado.

Por que é importante ter um planejamento?

Como você viu, o planejamento financeiro pessoal serve para atribuir mais controle às suas finanças e, claro, facilitar a obtenção dos seus objetivos a médio e longo prazo, ou seja, a realização dos seus sonhos. Sem ele, você acaba gastando todo o seu salário em contas que nem sabe quais são.

Você vai ao supermercado hoje e gasta com algo que não estava planejado, amanhã vai a uma loja e decide mudar a decoração do apartamento e assim sucessivamente. Quando vê, excedeu o orçamento do mês e não deu um único passo em direção à sua meta.

Com o planejamento financeiro pessoal, mesmo que você tenha a necessidade de fazer alguma compra ou se depare com um imprevisto, tudo estará projetado no seu fluxo de caixa. Assim, você não perde com isso. Todo dinheiro que sai da sua carteira será previamente planejado.

Como começar um planejamento eficiente?

Para quem não está acostumado a se planejar financeiramente, começar um planejamento pode parecer um pouco complicado. No entanto, saiba desde já que essa não é uma tarefa difícil. A primeira coisa que você precisa fazer é entender que deve começar aos poucos e ir avançando constantemente pelo passo a passo que vamos ensinar. Confira!

Defina seus objetivos e metas

O primeiro passo para começar a fazer um planejamento financeiro eficiente é definir quais são os objetivos que você quer alcançar com essa estratégia. Um objetivo geralmente é o seu sonho, é aquilo que o motiva a se organizar. Um bom exemplo disso é comprar um apartamento novo.

Já as metas são as formas pelas quais você traduz os seus objetivos de uma maneira realizável e mensurável. Ao definir as metas, é preciso estipular claramente o que será necessário fazer para alcançar seu objetivo. Isso envolve datas, recursos necessários, entre outros. Se o seu objetivo é comprar o apartamento, suas metas podem ser:

  • economizar 20% do salário todos os meses;
  • abrir uma conta em uma instituição de investimento;
  • juntar a quantia x (valor da entrada do imóvel) até a data “tal”;
  • pagar as dívidas.

Controle todos os seus gastos

Assim como estabelecer os objetivos e metas, começar a controlar as suas contas é um passo crucial. Você precisa entender quais são os seus hábitos de consumo, onde estão seus maiores gastos e o que está acabando com o seu dinheiro durante o mês.

Isso só é possível se você começar a controlar absolutamente tudo o que entra e o que sai do seu orçamento, desde o recebimento do seu salário na conta até o momento em que você começa a gastar o seu dinheiro em diferentes lugares.

Analise o que é possível reduzir

No momento em que você começa a controlar como o seu dinheiro é utilizado, passa a perceber quais são os tipos de contas que movimentam o maior montante no mês. Isso torna mais fácil identificar quais são os exageros que você comete durante esse período. Assim, fica muito mais simples analisar o que pode ser reduzido, não é mesmo?

Em alguns casos, reduzir significará cortar gastos, em outros, fazer substituições por alternativas mais baratas ou simplesmente diminuir a frequência com a qual você consome determinado produto ou serviço, por exemplo. Você não precisa abrir mão de tudo o que faz, desde que se proponha a ajustar seu orçamento.

Comece a investir dinheiro

Os adeptos da poupança podem ter um pouco de medo dessa etapa do planejamento financeiro pessoal. Mas a verdade é que quem ainda deixa o salário lá está nada mais nada menos do que perdendo dinheiro. Desse modo, é como se você estivesse abrindo mão do seu sonho para realizar o sonho de outra pessoa, nesse caso, o banco.

Começar a buscar investimentos é uma das coisas mais inteligentes que você pode fazer pela realização dos seus objetivos pessoais. Se não está disposto a assumir o risco de perder dinheiro, existem opções muito mais atrativas que a poupança para aplicar. Informe-se sobre o assunto, existem milhares de conteúdos disponíveis gratuitamente na internet que ensinam você a investir sem assumir grandes riscos.

Aumente a sua renda

Por fim, mas não menos importante, encontrar formas de aumentar sua renda pode ser o toque final para que o seu planejamento financeiro pessoal seja eficiente. Se você tem um emprego formal, talvez seja interessante começar a considerar a hipótese de fazer horas extras.

Outras opções são:

  • fazer trabalhos avulsos sob demanda (os famosos “bicos”);
  • arrumar um emprego noturno;
  • vender um serviço que você executa muito bem;
  • desfazer-se, por um preço em conta, daquilo que já não utiliza mais em casa;
  • trabalhar aos finais de semana.

O mais importante é que, depois de começar o seu planejamento financeiro pessoal, você mantenha uma certa constância. De nada adiantará controlar os seus gastos por 3 meses, por exemplo, se depois disso você simplesmente deixar que as contas virem uma bagunça novamente.

Gostou deste conteúdo e está se sentindo inspirado a organizar o seu dinheiro? Então, não deixe de conferir a nossa planilha de planejamento financeiro pessoal!

Posts relacionados

Deixe uma resposta