sair do aluguel

[INFOGRÁFICO] Preciso sair do aluguel: como farei isso? Confira 6 dicas práticas!

Sair do aluguel é o desejo da maioria das pessoas que almejam mais tranquilidade, segurança financeira e liberdade para viver em um lugar que tem a sua personalidade. Mas nem sempre conseguimos enxergar formas de conquistar o objetivo de comprar a casa própria, em meio a tantas contas para pagar e a vontade de realizar outros sonhos, como viajar, formar uma família, entre outros.

Por isso, nossa proposta neste artigo é ajudar você a entender melhor todos os benefícios de tomar essa decisão tão importante para a sua vida. Mais do que isso, vamos propor 6 dicas práticas para ajudar você a comprar o seu imóvel. Confira a leitura!

Analise por que é melhor sair do aluguel

Você já deve ter se perguntado algumas vezes sobre a real necessidade de comprar um imóvel. “Por que não viver de aluguel a vida inteira?” É um questionamento que muitas pessoas fazem, justamente por não conseguirem se enxergar conseguindo adquirir a casa própria. O fato é que há muitos motivos para você tomar essa decisão, desde financeiros a pessoais. Listamos alguns deles para ajudar você a refletir.

Melhora a sua saúde financeira

Claro que o aluguel é necessário em algum momento de nossa vida, mas não deveria ser encarado como definitivo. É um dinheiro gasto que apenas cumpre com o papel de atender a uma necessidade imediata, mas que não nos dá retorno em longo prazo. Esse valor sai do nosso bolso todos os meses e, se não mudarmos o ciclo, poderá ser assim para o resto da vida.

A compra do imóvel, por outro lado, é caracterizada como investimento, pois o valor que você desembolsa será em seu benefício e, por mais longo que seja o financiamento feito para a aquisição, em algum momento ele vai acabar. Sem contar a valorização do imóvel, que ocorre na maioria dos casos, em especial se for comprado na planta.

Dá mais segurança ao seu patrimônio

Todos os especialistas em economia concordam: comprar um imóvel é um dos investimentos mais seguros do mercado. É uma garantia de que seu dinheiro será valorizado e que você terá, portanto, um patrimônio seguro.

Você teve uma prova disso ao fazer o contrato de aluguel: normalmente, as imobiliárias pedem que o fiador tenha um imóvel em seu nome, não é mesmo? Isso se dá pela segurança financeira que ele confere aos seus proprietários. O mesmo vale para pedidos de empréstimos ou financiamentos.

Valorização garantida

Como mencionamos, quando você compra um imóvel, esse dinheiro investido terá valorização no mercado. Ao longo do tempo, o preço que você pagou na aquisição poderá ter reajustes bem acima do que muitos outros tipos de investimento oferecidos pelo mercado financeiro. No futuro, poderá valer a pena, até mesmo, vender o seu apartamento ou trocá-lo por um ainda melhor.

Realização pessoal

Por fim, pense no valor que a compra de um imóvel terá para você, como pessoa. Pergunte a pessoas que você conhece que já tenham casa própria: a sensação que essa conquista causa é única, uma experiência que trará a você mais tranquilidade, conforto e a liberdade de poder deixá-lo com a sua personalidade.

Veja 6 dicas práticas para comprar seu imóvel

Ficou convencido dos benefícios de sair do aluguel? Então, é hora de começar a pensar em como fazer isso. Confira nossas 6 sugestões!

1. Fazer um planejamento financeiro

Não há outra forma de sair do aluguel, senão organizando as suas finanças e fazendo um planejamento das suas contas. Para começar a fazer isso, comece a anotar minuciosamente tudo o que entra e o que sai, contemplando os recursos de toda a família.

Você pode fazer isso em uma planilha de excel, usando um caderno onde todos possam fazer anotações ou dispondo de um aplicativo. Esse também é um bom momento para quitar dívidas, caso tenha alguma, mesmo que, para isso, você precise entrar em contato com o credor e negociá-las.

2. Definir o tipo de imóvel adequado

Ao mesmo tempo em que organiza a saúde financeira, é bom começar a pesquisar o tipo de imóvel que você pretende comprar. Isso vai ajudar você nas próximas etapas, pois dará uma ideia mais clara do quanto vai pagar, se precisará de financiamento e por quanto tempo precisará economizar até fazer a aquisição.

Você pode usar a internet para essa pesquisa, usando critérios como a localização e o número de quartos ou vagas na garagem, por exemplo. Só não se esqueça de considerar um planejamento em longo prazo, como previsão de aumentar a família. Procure os imóveis que fiquem em regiões em desenvolvimento, com boa infraestrutura de serviços, boa mobilidade e acessibilidade, com comércio no entorno, entre outros.

Aproveite esse momento para decidir se o melhor para você é comprar um apartamento em construção ou usado. Os preços dos imóveis na planta são muito mais vantajosos, assim como as condições de pagamento.

3. Conhecer as opções de financiamento imobiliário

Com uma base do valor que vai investir, já dá para verificar as melhores opções de financiamento imobiliário. Programas do governo, como o Minha Casa, Minha Vida, oferecem uma série de benefícios que devem ser analisados. Também é um bom momento para verificar quanto você tem no Fundo de Garantia (FGTS), que pode ser usado para ajudar na entrada.

Mas não se atenha ao financiamento oferecido pela Caixa Econômica Federal. Com a concorrência, diversas outras instituições financeiras começaram a oferecer boas condições de parcelamento, com juros mais baixos. Algumas construtoras também têm financiamento próprio, que pode ser bem vantajoso.

4. Começar a economizar

Já sabe quanto vai investir para sair do aluguel? Então, comece a economizar agora mesmo! Faça uma reunião com a família e analise minuciosamente os gastos. Descubra onde há gorduras que possam ser queimadas, quais os supérfluos que podem sair do orçamento fixo. Determine uma base de prioridades e mantenha apenas os custos essenciais para que tenham uma rotina tranquila.

5. Criar uma reserva financeira para dar entrada no imóvel

Não espere o fim do mês chegar para ver o quanto sobrou e, só então, guardar o dinheiro em uma poupança para a compra do imóvel. O ideal é fazer o contrário: assim que o salário entrar na conta, aplique uma parte dele em algum investimento seguro para garantir uma reserva financeira para o momento da aquisição. Lembre-se de que quanto mais você tiver para a entrada, menores serão as parcelas e melhores as condições e taxas de juros.

6. Encontrar formas de ganhar uma renda extra

Se ao seguir todas as dicas que demos você ainda perceber que falta recurso para comprar a casa própria, não se desespere. Procure formas de aumentar seus rendimentos, realizando trabalhos extras. Fora isso, você pode procurar um imóvel mais barato para alugar nesse período, apenas enquanto não adquire o seu, para economizar.

Sair do aluguel, como vimos, é a melhor opção para garantir uma vida mais tranquila e segura, investindo o seu dinheiro, no lugar de entregá-lo nas mãos de outra pessoa, sem retorno em longo prazo. Não deixe de escolher uma boa construtora para adquirir o seu imóvel. Assim, você terá a garantia de valorização do seu patrimônio.

O que achou das nossas dicas? Ficou mais animado para comprar a sua casa própria? Então, veja também o que levar em conta para comprar seu primeiro apê.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se e receba as novidades do nosso blog por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.