conheça formas de fazer financiamento

Conheça as Formas de Fazer Financiamento de Apartamento

Por se tratar de uma compra de grande valor, o financiamento de apartamento costuma ser uma alternativa para muitos brasileiros. Mas será que todas as pessoas parcelam o imóvel da mesma forma? Quais opções os bancos oferecem atualmente?

A verdade é que não existe apenas uma forma de comprar um lar de forma parcelada. Leia este artigo para saber qual é a melhor opção para o seu caso!

Como fazer financiamento de apartamento atualmente?

Atualmente, existem quatro formas de fazer financiamento de apartamento aqui no Brasil. Cada uma tem regras próprias e, por isso, é necessário conhecê-las antes de decidir a ideal para a sua compra. Veja só:

Sistema Financeiro de Habitação

Pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH), os compradores conseguem financiar um imóvel cujo valor seja de até R$1,5 milhão. Porém, o parcelamento máximo deve ser de até 80%. 

Então, se o apartamento com as despesas acessórias custar R$ 300 mil, o consumidor precisa ter já na entrada R$ 60 mil. Nesse caso, o prazo para pagamento é de 35 anos, o que equivale a 420 meses. 

No SFH, é possível utilizar o saldo do FGTS para abater parte do valor — seja na entrada ou para quitar o saldo devedor. No entanto, é necessário se enquadrar em algumas regras, como: ter contribuído com o FGTS por três anos, não ter outro imóvel na cidade em que reside ou trabalha nem outro financiamento por esse sistema. 

Sistema Financiamento Imobiliário

Por sua vez, o Sistema Financeiro Imobiliário serve para atender aos casos que não enquadram nos requisitos do SFH. Por exemplo: caso o imóvel tenha um valor acima do teto estipulado no outro sistema, então, ele só poderá ser financiado pelo SFI. 

Um aspecto importante dessa forma de fazer financiamento de apartamento é que ela não permite usar o saldo do FGTS. Até porque, ela é direcionada aos investidores e pessoas jurídicas, não aos trabalhadores de carteira assinada. 

Além disso, as taxas de juros não são fixadas no SFI — enquanto no SFH são. Por isso, os juros por esse sistema costumam ser maiores. 

Casa Verde e Amarela

Substituto do programa habitacional Minha Casa Minha Vida, o Casa Verde e Amarela oferece condições mais favoráveis aos compradores de imóveis. Ele divide os públicos em três grupos de renda, entre R$ 2 mil a R$ 7 mil. Assim, cada público poderá pagar juros que caiba no orçamento, sendo que eles começam em 4,25%.

A distribuição é a seguinte: 

  • Grupo 1 do Norte e do Nordeste: paga 4.75% a 5% (não cotista do FGTS) e de 4.25 a 4.5% (cotista);
  • Grupo 1 do Sul, Sudeste e Centro-Oeste: paga de 5% a 5.25% (não cotista do FGTS) e 4.75% (cotista);
  • Grupo 2 do Norte e do Nordeste: paga 5.25% a 7% (não cotista do FGTS) e 6.5% (cotista);
  • Grupo 2 do Sul, Sudeste e Centro-Oeste: paga 5.5% a 7% (não cotista do FGTS) e 6.5% (cotista);
  • Grupo 3 do Norte e Nordeste: 8.16% (não cotista do FGTS) e 7.66% (cotista);
  • Grupo 3 do Sul, Sudeste e Centro-Oeste:  8.16% (não cotista do FGTS) e 7.66% (cotista).

Outro ponto importante é que o Casa Verde e Amarela prioriza imóveis localizados na região Norte e Nordeste. Em geral, os empreendimentos que eram atendidos pelo Minha Casa Minha Vida agora se encaixam no novo programa. 

Esse é o caso do Morada Feliz da Construtora União, situado em Aracaju. Quer conhecer esse apartamento e tudo o que oferece para a sua família? Então, veja aqui o Morada Feliz!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se e receba as novidades do nosso blog por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

6 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.